Tico Tico quer que Mambas ganhem no 21º aniversário da COSAFA

À semelhança de outras antigas vedetas que perfilaram na COSAFA deixando marcas inesquecíveis dado ao seu talento inquestionável, Manuel Bucuane ou simplesmente Tico Tico, o eterno capitão dos “Mambas” continua sendo uma das referências do futebol moçambicano e não só que tem influenciado gerações e merecido especial atenção por parte da estrutura organizativa da COSAFA.

No ano em que a COSAFA completa 21 anos de existência, a nossa reportagem ouviu a lenda moçambicana que felicitou a organização da prova que também o projectou para o estrelato. “Está de parabéns a COSAFA pelos 21 anos de existência. Hoje a COSAFA é um torneio de referência internacional e não regional e isso para além de nos honrar, orgulha-nos bastante. São 21 anos de sucesso e de muita maturidade”, congratula Tico Tico.

O ex-capitão da Selecção Nacional Manuel Bucuane, Tico Tico, que por sinal competiu pela primeira vez na COSAFA em 1997, foi eleito embaixador da COSAFA, com quem vem trabalhando em várias de acções de cariz social com enfoque para os crianças e jovens.

Enquanto atleta Tico-Tico teve 22 aparições nos torneios daTAÇACOSAFAdurante um período de 11 anos, facto  que o tornou uma das grandes referências desta competição, mesmo sem ter conseguido conquistar a Taça enquanto jogador da selecção moçambicana.  Ainda no activo Tico Tico marcou um total de oito golos a serviço da formação moçambicana. Ele é uma das lendas vivas daTAÇACOSAFA.

O mesmo não esconde a frustração que lhe causou o facto de não ter conseguido  conquistar um troféu para Moçambique enquanto esteve no activo neste que é considerado um dos melhores torneios ao nível da zona austral e não só. Mesmo, assim o the captain, como é tratado por alguns mostra-se preocupado pela forma como a Selecção Nacional tem-se comportado neste evento.

“Devo dizer em primeiro lugar que estou satisfeito com o trabalho que a nova equipa técnica da selecção está a desenvolver. Já notam-se sinais evidentes de crescimento e isso é bom. É verdade que muitas equipas aproveitam o torneio para rodar jogadores novos e não só… mas é também verdade que muitas selecções fazem uma mescla de jogadores novos e experientes com o objectivo de passar o testemunho aos mais jovens. É preciso saber ensinar os atletas a respeitarem a camisola nacional. Moçambique ainda não ganhou nenhum título na COSAFAe este é o momento para assumir a COSAFAcomo uma prova séria”, desabafou Tico Tico.

MOÇAMBIQUE ESTÁ NO BOM CAMINHO 

O capitão entende que o sentido de pertença e responsabilidade quando se veste a camisola nacional deve estar acima de todas as coisas quando o atleta está estiveram em campo. Na sua óptica as derrotas pesadas averbadas por Moçambique no torneio da COSAFA não espelham o real valor do combinado nacional. Este insiste em afirmar que para se conquistar o respeito é necessário que passemos a encarrar todas as provas com o mesmo grau de respeito e consideração independentemente dos compromissos que estivermos envolvidos.

“Será prestigiante ganhar um troféu na COSAFA. Esse sempre foi o meu sonho. Sei que não é fácil porque é preciso harmonizar muita coisa a começar pela calendarização do nosso campeonato. Mas, nada há nada que não seja possível. É uma honra ter feito parte dos primeiros atletas que jogaram as primeiras edições da COSAFA. Lembro-me que foi numa altura difícil em que as marcações dos jogos eram feitas sem existirem as datas fIfas e isso acarretava muitos problemas aos atletas nos seus clubes. Isso exigiu de nós muito esforço e sacrifício. Acredite que se um dia ganharmos esta prova os outros países passarão a olhar-nos com mais respeito e assim também como a própria estrutura da COSAFA”, explicou a lenda da COSAFA.

Falando a margem da participação de Moçambique na COSAFA, Tico Tico acredita que se Moçambique tivesse alinhado com jogadores mais experientes as possibilidades de discutir o título seriam maiores

“Acredito que o facto de o seleccionador não ter conseguido contar com os jogadores experientes por conta de muitos destes estarem a serviço dos seus clubes terá de certo modo atrapalhado os seus planos o que consequentemente não lhe deu muito campo de manobra para ter um leque de jogadores seleccionáveis para representar o país com todo o respeito. Contudo, acredito se tivéssemos trazido aqui os nossos melhores jogadores tínhamos sim hipóteses de ganhar a COSAFA.  Como disse anteriormente se nós levássemos este torneio com mais seriedade e sem estigmas a nossa prestação teria sido de longe melhor que esta. Esta é a oportunidade para Moçambique deixar a sua marca e impor o respeito na prova, “anotou.

Refira-se que o capitão dos “Mambas” para além de ter representado o Grupo Desportivo de Maputo, emblema que o lançou para o estrelato teve uma passagem pelo Estrela da Amadora, em Portugal antes de se juntar à equipa sul-africana  do Jomo Cosmos onde permaneceu por três épocas. Manuel Bucuane vestiu igualmente as camisolas do SuperSport United, Orlando Pirates e Maritzburg Unite, equipas que também militam no campeonato sul-africano. Tampa Bay Mutiny foi um dos vários emblemas que a o artilheiro jogou nos Estados Unidos de América.

Por Raimundo Zandamela

Related Post