A vingança dos oprimidos!

A presente edição da COSAFA tem a particularidade de nos trazer dados interessantes. Assiste-se uma mudança de paradigmas no que a hegemonia de algumas selecções diz(ia)  respeito! Ora vejamos: ontem, As comores negou  a terceira vitória  ao Eswatini, depois deste ter vencido nas anteriores ocasiões. Hoje, as Seychelles fez o mesmo negando a vitória a Moçambique.

Para não variar, o Malawi também não quis aceitar a quarta derrota diante da Namíbia, que até então era um autêntico carrasco do “Flames”.A equipa malauiana venceu de forma convivente a sua similar da Namíbia por 2-1, com os golos de Gabadinho (42’) e Phiri (47’), este último tendo sido de penálti. O golo solitário da Namíbia

Foi uma verdadeira propaganda de futebol protagonizada pelas duas equipas. O Torneio Regional da COSAFA que vem decorrendo, em Durban, África do Sul, desde o passado sábado devendo terminar no dia 9 de Junho deste ano tem provado que esta é a competição que relança as estrelas emergentes para a rampa do sucesso e para as montras internacionais.

Nos confrontos anteriores entre as duas equipas, a Namíbia entrou para o jogo em vantagem considerando que nas quatro ocasiões que estas duas equipas jogaram entre si saiu-se vitoriosa e com  um empate registado.  Desta vez, a história foi outra. O Malawi mostrou fibra e soltou as  chamas do fogo abrasador para arrancar a vitória suada.

A decisão de que irá seguir para os quartos-de-final fica adiada para a última jornada, neste momento o Malawi lidera a pauta classificativa do grupo com seis pontos.

Na sexta-feira o Malawi terá pela frente o já afastado Moçambique, pelas 17:30, no King Zwelithini Stadium enquanto a Namíbia jogará com as Seychelles, a mesma hora no Princess Magogo.

Importa acrescentar  que o jogo contou a  presença de dois espectadores especiais, tratam-se de  Ahmad Ahmad, presidente da Confederação Africana de Futebol (CAF) e Doctor Philip Chiyangwa, do Conselho das Associações de Futebol da África Austral (COSAFA), que para além de terem dirigido algumas palavras de apreço aos jogadores registaram o momento com uma fotografia para a posteridade

Moçambique e Seychelles de malas aviadas

A Selecção Nacional de Futebol de Moçambique, “Mambas” empatou, hoje no Zwelithini Stadium , diante da sua congénere das Seychelles, em desafio pontuável para a segunda jornada, do Grupo “B”, da Taça COSAFA, que decorre desde o sábado passado devendo ter o seu epílogo no dia 9 de Junho do ano corrente. Com este resultado Moçambique fica praticamente afastada da competição.

A entrada para esta jornada os “Mambas” ocupavam a última posição do grupo, sem qualquer ponto, o mesmo que sucede com o seu adversário de hoje, que perdeu ontem para o Malawi por 3-0. As duas equipas partilham os mesmos pontos na classificação geral do grupo.

Tal como anunciamos ontem, a sobre a situação de Moçambique, no que a sua continuidade ou não no torneio diz respeito, os factos, embora que hipotéticos apontam para um cenário não animador. À semelhança do que aconteceu na campanha de qualificação ao  CAN-2019, apesar de Moçambique não ter ganho o último jogo contra a Guiné-Bissau, o certo é que não conseguiu a qualificação devido ao confronto directo com a Namíbia.

O mesmo cenário aplica-se aqui, ainda que Moçambique ganhasse o jogode hoje, isto é vencendo as Seychelles, que até então era tido como o adversário fácil do grupo e o Malawi, certo é que Moçambique continuará em desvantagem no confronto directo com os namibianos.

A abriu-se uma nova página na história destes dois conjuntos na COSAFA. As Seychelles que até então eram os nossos adversários de estimação não permitiram com que Moçambique vencesse, neste que é o quinto confronto, no que a COSAFA diz respeito.

Como já havíamos anunciado em ocasiões anteriores, as possibilidades de Moçambique continuar na prova eram nulas, considerando que estreou com uma derrota por 2-1, diante da Namíbia. Os treinados de Abel Xavier volta a jogar, nesta quinta-feira, as 17:30, no King Zwelithini no cumprimento do calendário.

Ainda assim, Moçambique tem um histórico favorável nos confrontos com Seychelles no Torneio COSAFA. Em dois jogos obteve duas vitórias, marcou quatro golos e sofreu apenas um, enquanto para a qualificação ao CHAN os dois países já se encontraram por duas ocasiões (quatro jogos).

Na corrida para o CHAN-2014, os “Mambas” ganharam, em 2012, por 2-1 em Victória e golearam em Maputo por 4-0. Já para o CHAN-2016, Moçambique ganhou, em 2015, por 5-1 na Beira e 4-0 fora, havendo ainda a registar uma vitória por 2-1, num amigável.

Importa referir que as selecções eliminadas dos quartos-de-final terão ainda oportunidade de disputar mais jogos para o alinhamento da classificação final.