África do Sul bate Moçambique (3-1) e Zâmbia goleia Madagáscar (7-1)

A selecção sul-africana entrou com o pé direito ao vencer a sua congénere de Moçambique por 3-1, na jornada inaugural do grupo “B” referente a Taça Cosafa na categoria sub-17. Mohammed Shahabodien, defesa direito a serviço do Ajax Cap Town Academy foi o autor dos dois golos que conferiram a vitória a equipa treinada por Molefi Petrus Ntseki nos minutos 17 e 38. Enquanto que o terceiro golo foi marcado pelo meio-campista James Roberto Mcfarlane no minuto 58. O golo de honra de Moçambique foi apontado pelo atacante Gerson Novela aos 65 minutos numa jogada de insistência.

Entretanto, a Zâmbia impôs uma goleada histórica a sua similar da Madagáscar ao vencer por claros 7-1, tendo Lameck Banda marcado três golos (9’, 31’ e 37’) sendo que os restantes foram apontados por Martin Njobvo e Kingsley Hakwiya, nos 19,42 e 31 respectivamente. Com este resultado os treinados de Mumamba Numba partilham a liderança com a África do Sul com um total de três pontos. Os malgaxes reduziram o marcador aos 79 minutos por Mamisoa Andriamalala.

A superioridade da equipa zambiana foi notória desde o primeiro minuto considerando que jogou diante de um adversário que criou muitas facilidades e denotou fragilidades na sua estrutura. A Zâmbia aproveitou da melhor maneira a situação lançando um aviso claro aos próximos adversários!

Depois de ter sido desqualificada no ano passado por ter utilizado atletas com idades superiores a 17 anos, os zambianos entraram dispostos em limpar a sua imagem e ganhar jogos com verdade desportiva . Como forma de desencorajar actos que em nada dignificam o futebol, a COSAFA apertou o cerco tendo obrigado que os atletas zambianos efectuassem testes de ressonância magnética para apurar a veracidade da idade dos jogadores. Contudo, a Zâmbia à semelhança da África do Sul, é apontada como sendo uma das principais favoritas a conquista da Taça.

De resto, a jornada inaugural foi marcada com o registo de maior número de golos (12) a destacar os sete marcados pela Zâmbia e três pela África sendo que os restantes foram apontados por Moçambique e Madagáscar.

Moçambique não conseguiu mudar a história

Volvidos 23 anos, Moçambique reencontrou-se com a África do Sul numa nova versão, para o ajuste de contas, uma vez que em 1994 a equipa até então liderada pelo técnico Martinho Fernandes perdeu numa final da COSAFA por 1-2. Pelos vistos, os sul-africanos continuam sendo o carrasco de Moçambique.

Os 15 minutos que a formação de Moçambique teve o domínio do jogo não passaram de uma mera ilusão de óptica, visto que a falta de eficácia e objectividade, aliada aos elevados índices de nervosismo por parte do conjunto moçambicano precipitaram a derrota desta selecção.

Molefi Petrus Ntseki que apostou em renovar a equipa tendo em vista as eliminatórias de acesso ao Campeonato Africano da categoria não escondeu o desejo de levar consigo o título depois de na edição passada ter perdido na final diante da Namíbia no desempate das grandes penalidades (1-3), depois de ter estado a empatar no tempo regulamentar por 1-1.

As lacunas apresentadas pela defensiva moçambicana foram sabiamente aproveitadas pelos “Bafana Bafana juniores” que mostraram coesão e supremacia perante a inoperância dos “Mambinhas”, que desorientados com os dois golos sofridos não conseguiam reverter o cenário pelo menos até ao intervalo.

No reatamento do desafio a equipa moçambicana mudou a postura de jogo e o técnico Nasser Carimo foi obrigado a operar duas substituições fazendo entrar Pablo Bechardas e Inoque Machava nos lugares de Gabriel Pinho e Edmilson Jeremias respectivamente.

Os moçambicanos só conseguiram chegar ao golo aos 65 minutos por intermédio de Gerson Novela, atleta que representa o Clube Estrela Vermelha de Maputo. O golo chegou a acalentar a esperança de uma possível reviravolta facto que não chegou a consumar-se uma vez que a bem organizada equipa sul-africana montou uma cortina defensiva intransponível. Moçambique ainda tentou visar à baliza contrária por intermédio do capitão Geny Catamo que se encontra a serviço da Academia do SuperSport United da África do Sul.

A África do Sul voltará a entrar em cena no domingo diante da Zâmbia no Stade Saint Francois Xavier quando forem 12:30, horas locais enquanto que Moçambique tem o encontro marcado no mesmo recinto com a Madagáscar pelas 15:30 horas.

Recorde-se que os sul-africanos que no ano passado terminaram a fase de grupos em pleno tendo vencido os três jogos saldaram um total de nove pontos seguidos pela Namíbia com seis. Recorde-se que foi com este adversário que a equipa sul-africana perdeu na final no desempate das grandes penalidades por 1-3, depois de um empate a uma bola no período regulamentar. Quiçá que este seja o ano da desforra para os representantes do país do arco-íris que viram o troféu a escapar das suas mãos.

Please follow and like us: