África do Sul e Zâmbia qualificam para as meias-finais

A Selecção sub-20 de futebol da África d Sul carimbou o passaporte para as meias-finais do Torneio de Futebol da COSAFA, que decorre desde o dia três (dia 3) em Kitwe, devendo terminar no dia 15 deste mês, em desafio pontuável para segunda jornada e última jornada do grupo “B”, ao vencer a sua similar do eSwatini por 4-0. Luke(36’), Foster (52’), James (84’) e  Promise (87’) foram os autores dos golos da equipa sul-africana.

Quem também garantiu o acesso para as meias-finais foi a selecção da Zâmbia que empatou a uma bola diante da congénere de Moçambique, na terceira e última jornada do Grupo “A”. Os anfitriões somam assim nove pontos seguidos de Moçambique com quatro. No entanto, o Zimbabwe, já qualificado será o próximo adversário da Zâmbia na meias-finais enquanto que a África do Sul medirá forças com a segundo melhor classificado de todos grupos que saíra do Grupo “A” ou  “C”. Isto é, Moçambique terá que aguardar pelo resultado do jogo entre Angola e Zimbabwe. Em caso de um empate ou derrota por parte de Angola Moçambique qualifica-se. Mas, se a Angola vence ter-se-á que recorrer a diferença de golos

Com este resultado a África do Sul termina a fase de grupos com seis pontos na tabela classificativa e qualifica-se para as meias-finais onde deverá medir forças com o segundo melhor classificado de todos os grupos. sem pontuar a a ex-Suazilândia terminou a sua

Depois da desistência da Namíbia por alegada restrição financeira o Grupo B passou a ser composto apenas por três equipas, a África do Sul, Maurícias  e eSwatini, o que pressupõe dizer que as equipas realizaram apenas dois jogos para cada.

Segundo reza o formato da competição, as equipas estão dispostas em três grupos (ABC), em que transitam para as meias-finais apenas os primeiros melhores classificados de cada e o segundo melhor de todos.

Mesmo com estes imprevistos a organização da prova manteve o mesmo figurino competitivo, frisar apenas que ao invés de 12 equipas, o torneio contará apenas com 11 equipas dada a desistência da Namíbia.

eSwati complica África do Sul antes do adeus a COSAFA

A selecção do reino do  eSwatini não foi uma pêra doce tal como o campeão em título, África do Sul poderia imaginar, os treinados de Dumsani Makhanya do eSwatini entraram determinados em não entregar a vitória de mão beijada. Fortes defensivamente e controlando todas as linhas de passe, os “Amajitas” tiveram dificuldades em construir jogadas que pudessem transpor a cortina defensiva montada pelos adversários que mostraram-se implacáveis.

Nem as saídas rápidas de Lyle Foster e os improvisos de Promise Mkhuma, foram suficientes para destronar a teia defensiva e chegar ao golo pelo menos até o minuto 30. Só depois de  tanta existência numa jogada combinada, Lyle Foster  faz um passe curto ao seu colega, Luke Roux, que milita no SuperSport United da África do Sul, e este, por sua vez, colocou a bola num ângulos difíceis da barra transversal marcando o primeiro golo da partida a passagem do minuto 36. Quebrava-se deste modo a monotonia que caracterizou a meia hora de jogo da primeira etapa. Foi com o magro resultado que a equipa de Thabo Senong, técnico da África do Sul foi ao intervalo.

À entrada para a segunda etapa os “Amajitas” precisaram apenas ter que esperar seis minutos para dilatar o resultado. Lyle Foster  foi quem teve a responsabilidade de marcar após responder positivamente um cruzamento longo de um do seus colegas. Posicionado na grande área, este cabeceou directo para a baliza.  Com as facilidades criadas não tardou para o terceiro golo surgir, James Moonyane (84’) marca fácil para três minutos depois Promise Mkhuma fechar com chave de ouro apontado o quarto golo no minuto 87.

Reza a história que no que ao confronto entre estes contendores diz respeito a África do Sul está em vantagem não tendo registado nenhuma derrota, pelo menos nesta competição. Nos últimos 12 torneios até aqui realizados, o eSwatini não chegou a ir para além da fase  de grupos e esperava-se