Qual dos “Z” será MAIOR?

A resposta para esta questão será dissipada hoje, as 15:00 horas, no New Peter Mokaba, palco que acolherá a final da 18ª edição do Torneio da Taça COSAFA, que colocará frente a frente as selecções do Zâmbia e do Zimbabwe.

Esta será a quinta final a opor estes dois arqui-rivais (2005, 2009, 2013 e 2017). Este evento vem decorrendo na cidade de Polokwane, África do Sul desde o passado dia 27 de Maio do ano em curso.

Tudo está a postos, para o grande embate de hoje, não se reportando casos clínicos que possam causar preocupação aos técnicos das duas selecções, nomeadamente Beston Chambeshi, treinador da Zâmbia e Sunday Chidzambwa, do Zimbabwe.

De apoio é que os The Warriorse os Chipolopolosnão se podem queixar, pois em todos os jogos, mais de 100 zimbabueanos e zambianos se fizeram presentes no New Peter Mokaba, puxando pelas suas equipas do princípio ao fim, com recurso as turbulentas vozes ou com apitos e vuvuzelas, empunhando, orgulhosamente, bandeiras dos seus países.

Naturalmente que depois de ver o título a fugir na edição passada, onde o Zimbabwe conquistou o seu quinto troféu, a Zâmbia (que conta com quatro títulos) quererá de certeza  resgatar a sua honra vingando a derrota sofrida (3-1) diante daquele que é o seu maior carrasco.

A probabilidade de uma das equipas conquistar o torneio é maior para cada lado, uma vez que ambas estiveram isentas da fase de grupos dado o seu ranking na COSAFA, dai estarem empatadas em termos de números de jogos.

Tanto a Zâmbia como o Zimbabué disputaram 54 jogos anteriores na Taça COSAFA, superando os restantes países concorrentes. O Zimbabwe contabiliza um total de 33 vitórias na COSAFA, e também marcou o maior número de golos, sendo 95.

Um outro dado a anotar, é que os representantes do Zimbabwe saldaram o maior número de vitórias nas finais, tendo vencido cinco dos sete já disputadas. As derrotas foram consentidas em 2001 (para Angola) e 2013 (para a Zâmbia).

Os últimos 10 encontrosforam ligeiramente favoráveis ​​aos zimbabueanos, embora com quatro vitórias e três para Zâmbia e igual número de empates. Eles aumentaram a contagem de pontos 10-9.

No cômputo geral o Zimbabwe tem o recorde de três vitórias, (duas para Zâmbia), dois empates para cada, marcou sete golos (cinco para a Zâmbia), tudo isto em sete jogos disputados.

Meus senhores e minhas senhoras, as condições para acolher este grande momento de festa estão criadas. Uma vez mais, a COSAFA vai proporcionar momentos ímpares e inolvidáveis nesta que é a referência do futebol africano, pois é aqui onde são fabricadas as lendas do futebol. Tomem os seus lugares e que vença o melhor!