Zâmbia afasta Malawi e Eswatini festeja!

As selecções de Moçambique e do Eswatini irão disputar a primeira meia-final do Campeonato Sub-17 do Conselho das Associações de Futebol da África Austral (COSAFA), que arrancou no dia 11 de Outubro, devendo terminar no dia 20 do mesmo mês em Blantyre, Malawi.  O jogo terá lugar, no Mpira Stadium, as 11:00 horas,  enquanto a Angola, segunda classificada do Grupo “B” terá pela frente a Zâmbia, as 14:00 horas, no mesmo local, naquele que será o segundo jogo desta fase.

Na conclusão da terceira e última jornada do Grupo “A”, a Zâmbia levou de vencida o Malawi por 3-2, enquanto que o Eswatini  empatou a uma bola (1-1), com a já eliminada África do Sul. Recorde-se que Moçambique e Angola já haviam garantido a sua qualificação a entrada desta jornada, após vencerem respectivamente as selecções do Lesotho por 4-1 e 3-0.

A Zâmbia terminou a fase d e grupos invicta com um total de nove (9) pontos, enquanto que o Eswatini ficou na segunda posição na tabela classificativa do grupo com quatro pontos, mercê de um empate e igual número de derrota e vitória. Phiri (6’), Mulenga (49´) e Chikola (65´) foram os obreiros da vitória zambiana e do lado malauiano os golos foram apontados por Mahowa (20´) e Salima (57’).

Por sua vez, o golo de honra da África do Sul foi marcado por Mahlangu (67´) e para o  Eswatini, Mpendulo (41´) encarregou-se de colocar a sua equipa nas “meias”.

Na edição passada a equipa anfitriã terminou a fase de grupos com um total de seis pontos, frutos de duas vitórias e uma derrota.

Depois da medalha de bronze conquistada em 2017 a custa de uma vitória sobre a África do Sul por 2-1, o que lhe valeu uma medalha de bronze como terceiro classificado da prova, a selecção do Malawi viria a conquistar a segunda medalha depois de em 2016 tê-lo feito após vencer a selecção do Quénia por 2-0.

Ainda em  2017 o Malawi terminou a fase de grupo em pleno com um total de nove pontos, frutos de três vitórias. Enquanto que no ano anterior a equipa de Deklerk Msakakuona, treinador do Malawi perdeu frente Namíbia por 5-6, no desempate de grandes penalidades depois de o resultado ter empatado a uma bola no tempo regulamentar.

Zâmbia apaga as chamas do Malawi

Fim da linha para o Malawi. Os anfitriões defraudaram as expectativas do seu público ao serem eliminados da corrida na terceira e última jornada da fase de grupos pela Zâmbia.  Lasmond Phiri, atacante a serviço do Blaze Sporting Academy (Zâmbia)  foi eficaz ao converter o golo inaugural a passagem do minuto seis  (6), depois de um passe magistral de Moses Mulenga.

Em reacção, o Malawi procurou chegar ao golo, algo que foi alcançado no minuto 20. Frank Mahowa, fez a igualdade ao aproveitar-se de uma disputa de bola no interior da grande área. Estava feito o 1-1. Êxtase e muita emoção tomaram conta do estádio, afinal só a vitória interessava as duas equipas. Com o empate as duas formações foram ao intervalo.

No reatamento, a Zâmbia volta a dilatar o score, desta vez por intermédio do inevitável Moses Mulenga, que atirou a contar aos 49 minutos. Não tardou para o empate surgir. Numa jogada individual, Chikumbutso Salima, avançado que militar no Mbahewe  (Malawi) faz o 2-2. Mas, a guerra não parou por ai, a Zâmbia volta a marcar na sequência de um pontapé-de-canto batido por Peter Chikola que foi parar directo na baliza a guarda de David Minganja.

“Amajimbos” despedem-se sem glória

Definitivamente que este é um ano para esquecer. Vela Khumalo, técnico recém-promovido para orientar a sul-africana, em substituição  a Molefi Ntseki, iniciou a sua caminhada com dissabores. Uma prestação coroada com o pior arranque alguma vez tida pelos “Amajimbos”, que deixam para trás o título de vice-campeões.

Quando menos se esperava a África do Sul viu a sua hegemonia a cair por terra, ainda na primeira jornada, após cair aos pés do Malawi por 3-0. Enquanto ainda digeria a derrota, eis que na segunda jornada, a Zâmbia sem complacência vinga da derrota tida no ano passado, nas Maurícias aplicando chapa 7-0, aos sul-africanos. A África do Sul viria terminar esta ronda sem pontuar.

A África do Sul tem sido a equipa mais bem sucedida na história do Campeonato Sub-17 do COSAFA, tendo até aqui conquistado duas medalhas, uma de ouro e outra de bronze, isto em 2001 e 2016 respectivamente.

Nesta caminhada pela COSAFA, destaca-se a vitória conseguida a 25 anos, frente a Moçambique por 2-1, tendo lhe valido a conquista do Torneio, antes de levarem a Suazilândia ao primeiro lugar em 2001.

Acrescentar que a África do Sul é um dos dois únicos países representantes da COSAFA, sendo o outro o Malawi, a cometer a proza de se qualificar o Campeonato Mundial da categoria que teve lugar em 2015, no Chile.

O máximo que a equipa conseguiu na sua participação  foi um empate a uma bola (1-1), diante da Correia do Norte. A equipa estreou cm uma derrota diante da Costa Rica por 2-1, e no último jogo perderam para a Rússia por 2-0.

Molefi Ntseki, o obreiro deste percurso notável da África do Sul, foi também o responsável por qualificar a equipa para o Campeonato Africano das Nações que teve lugar na Nigéria, em 2015. Estes terminaram em segundo lugar, enquanto que em 2005 viriam a ficar em quarto.

 

Please follow and like us: